quarta-feira, 7 de setembro de 2011

30 ANOS: CRISE E LIBERDADE.

A noite eu cantei um cara, ele era mais novo - sabe como é, quando se tem 30 anos a gente acha que exerce um certo poder sobre os caras de 20 e poucos. Ele resistiu, disse que eu já tinha pegado uma galera, tava passada e não lembro bem o que falei, mas fiquei meio chocada, confesso - aprende-se que mulher não pode ser "rodada" pega mal.

Na mesma noite, minha amiga Anaterra - feminista engajada, faz 30 neste mês - falou sobre um movimento Mulheres Livres e eu disse que  deveriam elas ter um objetivo pra lutar. Nos anos 20, a luta era por um lugar no mundo intelectual e social, por exemplo. Nos anos 80, queriam mais emprego e mais salário. E o que queriam em 2011, as "mulheres livres"? Liberdade é utopia, mulheres livres do que? - perguntei.

Horas depois - com mais uma pista de dança no decorrer da noite, um longo período de sono pra baixar o alcool e uma forte chuva na janela para alimentar os pensamentos distantes, porém algumas vezes bastante elucidativos - a memória funcionou e juntou os fatos. Ressaca física e ressaca moral também tomaram parte do meu tempo, mas ter 30 anos é às vezes vantagem - não é bom sempre porque pega mesmo, a gente se sente um peixe fora d'agua em baladinhas, uma estranha no ninho familiar em que ainda te tratam como uma garota de 15 - mas um dia as três décadas de vida resolvem dar o ar da sabedoria e as vozes dentro de você dizem coisas que mudam sua vida para melhor. E foi num desses momentos grandiosos, que eu pude pensar sobre eu mulher, solteira e portanto mais sexualmente ativa que algumas casadas, posso sim sucumbir as tentações, desde que a escolha seja minha e eu saiba e aceite as consequências.

Claro que escrevendo isso aqui, eu acho que muita gente vai pensar que sou uma vadia, uma puta, uma garota fácil e todas essas projeções que as pessoas têm sobre nossa sombra. Porém o grande ganho da minha idade e do meu século XXI é poder ser quem sou, sem medo do que pensam sobre mim. Tenho a consciência limpa porque respeito os outros, separo o lixo, pago minhas contas, faço academia e amo minha família - isso pode ser piegas porém é importante se dar bem com a família para o nosso bem estar. Se estou com alguém sou fiel ao meu amor, se não estou sou fiel a mim. Isso é liberdade! Liberdade não é utopia porque não é anarquia, é livre-arbítrio com dignidade e nós mulheres também temos esse direito.

5 comentários:

  1. Amei a Estrotape da Bina para as Vadias!!! E me identifiquei muito com esse texto... :O

    ResponderExcluir
  2. Sumemo Gabis, é libredade pra SER... de verdade! <3 <3 <3 <3 <3 viv

    ResponderExcluir
  3. adorei! liberte-se mulher!!! por incrível que pareça neste mesmo seculo XXI ta cheio de mulher inrustida, reprimida....

    a luta de hoje deve ser a de reconhecimento profissional e a horizontalidade que pasmem não existe... um exemplo; as mulheres detentas não tem direito a visita íntima... os homens tem.. isso é só um dos exemplos!!!

    sejamos livres!:)

    ResponderExcluir
  4. "Interessante..., a mulher que vive a frente de seu tempo tem que tolerar as mentes atrazadas para poder rir ao invéz de chorar do velho aforrisma machista que Se um homem bate na mesa e grita, está impondo controle. Se uma mulher faz o mesmo, está perdendo o controle."
    Dominus Superior

    falando sobre o texto, que eu postei no grupo da marcha das vadias (mulheres livres).

    é... a gente pensa que já conquistou tudo, no entanto as estatísticas e nossas próprias vivências estão ai para nos provar o contrário...

    ResponderExcluir